sábado, 24 de abril de 2010

A vida como ela é - com filhos

Hoje, sábado, 06:30h da manhã fui levar meu filho para um passeio ciclístico na escola...
O passeio ciclístico foi um sucesso total. Meu filho, todo orgulhoso de si, (e a corujona aqui mais ainda!!!!), completou o trajeto do passeio...

Mas eu adoraria ter ficado na minha cama, dormindo um pouco mais, afinal, sábado... Coisas de mãe...

Quando meu filho nasceu, as pessoas que me rodeavam tinham aquele ar singelo de "ahhhhhh!!!! Que liiiiindo!!!!! Fiiiiilhos!!!!!!! E queriam que eu também tivesse esse mesmo ar singelo...

O fato é que "alguém tem que falar" que não há absolutamente nada de poético no cuidado diário de um bebê, de uma criança. É estafante trocar fraldas, dar de mamar, fazer dormir, carregar no colo, dar papinha, depois cresce, leva ao pediatra, leva ao dentista, leva à escola, leva ao inglês, natação, futebol, karatê, festinha dos amigos, reunião de escola, festa junina, fazer tarefa, tomar banho, dormir na hora certa, acordar na hora certa, comer bem, ser educado, ter bom comportamento, ensinar princípios, leva no hospital de madrugada porque a febre não cessa, cuidar dos tombos de bike, tomar banho direito, escovar os dentes.... Aff!!!! Cansa só de falar....

Ninguém te conta que tem hora que você quer achar o botão de power do seu pimpolho e guardar ele na gaveta, tipo - "Cansei!!!! Agora vou fazer outras coisas, depois volto e te curto mais, tá???!!!!"...

Deixo aqui muito claro, para quem não me conhece ainda muito bem, que sou daquelas mães super corujas, mega apaixonada pelo filhote, quase super-protetora... Tenho uma forma carinhosa de me referir a ele que é conhecida e comentada por ser absolutamente terna... Ele é meu grande tesouro e meu amor por ele é indescritível...

Ter filho é sim delicioso. Você se torna completamente realizada como mãe (ou pai), mas não dá para parar no tempo e dizer - pronto - estou completa, isto é tudo para me bastar... Tenho necessidades pessoais e tem hora que filho, principalmente quando bebê, requer demais de você. É cansativo... Eu sou Mãe sim, e muito mãe, mas sou também mulher, sou inteligente, sou ser em evolução e meu filho merece crescer sabendo que ele é amado mas não endeusado e que tenho tempo para ele, ele mora no meu coração, mas também quero e preciso de um tempo só meu, preciso ser uma pessoa completa, para ensiná-lo a ser completo e mostrar a ele a vida como ela é...

16 comentários:

  1. Querida Amiga.....
    Nossa......quanta verdade! É isto aí mesmo! Não pense que com o passar dos anos a coisa vai melhorar, vai não!rs
    Hoje também dediquei meu dia à minha filha, pela manhã ela foi fazer diversos exames de rotina, e eu lá a tira-colo! Depois, na volta, eu me dei conta de que um dos faróis do carro estava queimado, enquanto ela foi tirar uma soneca pois trabalha 10h/dia lá fui eu fazer a troca da lâmpada....e lá se foi meu sábado!
    Como disseste não falo estas coisas como um peso, um transtorno, mas, sim como acontecimentos que surgem normalmente na vida de mães/filhos!
    Amo muito minha filha, e ela a mim, tanto que já com seus 31 anos ainda continua agarrada na minha vida, embora financeiramente independente, ainda mora comigo e aí de quem se atreva a dizer que ela deveria não mais morar comigo! Fica furiosa e manda longe!Há muitos anos somos só nós duas, e isto fortaleceu muito nossa vida!
    Mas.....apesar de ser mãe, também temos nossas vidas, e temos que também viver este outro lado.
    Como sempre: super bem escrito!
    Já te disse guria: escreve um livro! Tens um talento nato!

    ResponderExcluir
  2. Lu, que bacana o que você falou, e com muita propriedade.
    Tenho duas filhas lindas por dentro e por fora, hoje, já adultas. Que saudade eu tenho do tempo em que me levantava a noite, varias vezes, pra cuidar delas e no dia seguinte agüentar um dia pesado de trabalho e super feliz. Porem tinha dias que eu tinha vontade de achar a caixinha de pilhas e tirar a Duracell delas...rsrs. Realmente tem hora que você precisa dar um tempo pra você e se cuidar, evoluir e se amar, senão você para no tempo e daqui a pouquinho (e como passa rápido) o pimpolho cresce e se torna independente.
    E você? Parou no tempo? Realmente “alguém tem que falar” que o tempo não para (O Cazuza já disse...rs) e você tem que continuar se construindo como pessoa completa. È lindo e politicamente correto dizer que dediquei minha vida a meus filhos. Mas, lá na frente você conseguiu se tornar uma pessoa melhor pra você e para eles? Seu filho é um ser humano digno, também em busca de evolução? Isso torna você um bom pai/mãe e não o fato de construir uma redoma ou um pedestal pra ele.Falei demais, né?...rs

    ResponderExcluir
  3. Sandra e Lufe!!!!!!
    Tenho adorado escrever...
    Tá me fazendo muito bem!!!
    Mas melhor que isto, é ver vocês por aqui!!!!
    É ir no buteco do Lufe rir da vida...
    É a Sandrinha mostrando seu potencial!!!!
    Obrigada.
    Um beijo enorme no coração!!!!

    ResponderExcluir
  4. Lu, mais uma vez você me aparece com um tema certeiro. Como somos parecidas, minha amiga. Adorei seu texto e concordo absolutamente com tudo que falou. Mas o que me fez refletir mesmo, foi a última frase, sobre mostrar a vida como ela é.
    Você sabe que tenho um filho, o Guilherme, um "recém adolescente", que pode-se perfeitamente dizer tem uma "alma doce", generosa além da conta. Só para vc ter uma idéia, ontem passei mal e ele, ao invés de ir aproveitar o domingo com os amigos, me ficou fazendo companhia.
    Esse jeito dele me dá ganas de mostrar a ele, comurgência, como é a vida, para que ele não se decepcione demais, não sofra demais. Só que, o que noto, é que muitas vezes é ele quem me mostra a vida como ela é, uma vida que, muitas vezes, deixei de acreditar, uma vida mais bela e mais pura.
    Então hoje, vivemos assim, nesse compartilhar de visões de mundo. Em algumas ocasiões eu dou o rumo e mostro algum ponto de vista que ele não tinha percebido, em outras é ele quem me norteia.
    E eu me pergunto: afinal de contas, como é mesmo a vida?...rs
    Beijo grande querida

    ResponderExcluir
  5. Pois é amiga....rs....estás me fazendo escrever...rs...quem diria! Eu, apenas com meus textos técnicos de Gerente de Banco...rs...pensei que depois da aposentadoria só iria escrever meus mail's e brincar com as palavras cruzadas...rs..e cá estou eu a palpitar aqui e no Buteco do Lufe, aliás, gente finíssima como tu! Eu sempre fui uma leitora ávida, mas, uma pessoa sem grandes talentos para escrever! Agora estou eu a "palpitar" sem parar todos os dias!rs
    Com a Regina troco mail's informais, conto meus "causos" pessoais, mas ali é particular entre nossas caixas postais, mas por aqui estou tendo a coragem de me expor, coisa que jamais pensei que fosse capaz de fazer!
    Estou amando conhecer todos vocês....e se Papai do Céu realmente quiser que eu e minha filha nos mudemos para São Paulo a gente vai poder se encontrar muitas vezes...Beijinhos amiga!

    ResponderExcluir
  6. Querida Lu!

    Dizer o quê diante de tantos comentários especiais feitos a um post ainda mais especial?
    Cheguei tarde!!! (risos) Já disseram tudo!!!
    Mas olha, tenho passado por aqui todos os dias, só não estou comentando muito porque o meu blog tá dando um trabalho danado "sô". Me meti a fazer pesquisas em sites e blogs internacionais e varo as madrugadas em busca de material. Estou virando um auto didata em inglês (ahahahahah).
    Por falar nisso, já vistes o trailler do filme "OCEANS" da Disneynature. Está no meu blog. LINDOOOOOOO. Vale a pena ver!.
    Mas olha, voltando as tuas lides (como diria meu saudoso pai), teus textos estão ficando cada vez melhor. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Lu,

    Peço licença pra dar um pitaco sobre o comment da Sandra aqui no seu cantinho...
    S andra, escrever e coçar é só começar....rs
    Eu a vida inteira só escrevi em termos técnicos. Há alguns anos atrás desenvolvi um projeto social e precisava escrever a descrição do local, seus habitantes e suas necessidades. Isto deveria ser feito de uma forma que sensibilizasse o leitor e o levasse a apoiar financeiramente as ações. Em suma, eu tinha de fazê-los chorar. E abrir a bolsa, claro....rs. Escrevi, escrevi e escrevi. Quanto mais eu mexia mais porcaria ficava. Parecia aquela coisa que começa com m... Um de meus amigos, integrantes e voluntario desse projeto, era jornalista de peso na rede Globo. Fui procurá-lo solicitando ajuda e ele se recusou. Nunca mais esqueço o que ele me disse aquele dia.
    - Não vou te ajudar, você quer moleza! Você dá aula, faz palestras, tem uma forma interessante de brincar com as palavras. Você é convincente quando fala, as pessoas te escutam. Ponha no papel os seus sentimentos, da mesma forma que fala. O projeto é seu, a emoção é sua e o problema é seu.
    Como sofri, foi um parto. Demorei varias semanas para escrevê-lo. Foi um sucesso.
    Estou te contando isso para que você não se sinta inibida ao escrever. Cada um tem seu brilho e seu encanto, basta passar suas verdades do seu jeito. Não queira escrever como os outros(tem hora que dá uma inveja), escreva como você mesmo!
    Mesmo que tenha uns floreios e alguns reforços de expressão, como eu faço...rsrs
    Obrigado pelo espaço, Lu;

    ResponderExcluir
  9. Nossa....começo a me achar a "última bolachinha do pacote"...elogios, elogios e elogios! Pois é queridos! Vocês começam a presenciar o nascimento de uma "escritora".....nossa...rs...
    Desde muito cedo na vida tive que me virar, que tentar assumir um espaço na vida. Eu tenho um dom que procurei desenvolver ao máximo, que é ter uma cabeça hiper privilegiada para números, mas, como todo excelente matemático uma pessoa que fugia das letras, como o diabo da cruz!
    Com o passar dos anos fui obrigada a tomar posições e decisões, ali comecei a aperfeiçoar a escrita técnica....primeiro com um português sofrível...como melhorar? lendo! Então comecei a ler, muito, cada vez mais...até conseguir chegar ao ponto de escrever bem tecnicamente e ser muito solicitada no que eu fazia, confesso que era boa na minha tarefa.
    Lufe, sempre tive medo de colocar minhas expressões em um texto livre, não tens idéia do quanto me senti lisonjeada com teu "comment"....ganhei meu dia.....fiquei sorrindo de orelha à orelha!!!
    Milton....então não sou só eu que estou conseguindo superar meus limites! Que máximo!
    Gurizada, todos vocês são o máximo!Êta "rodinha" de chimarrão mais tri de boa!!!!!!!

    ResponderExcluir
  10. Lu,

    Não tenho filhos, não foi uma questão de opção mas considero como consequência de vida, pq se eu tivesse um filho, eu gostaria q ele tivesse um pai presente, mesmo q não fosse meu marido...rs

    Aos 25 anos mudei para o interior do Pará, por causa do trabalho, e vejo q foi com este q me casei...rs e por causa dele viajo muito em condições precárias pelo interior da Amazônia para levar a educação superior...

    como não teria minha família perto para me dar suporte, e nem acho q q minha mãe deveria ficar responsável de cuidar de neto...rs sem contar q meus ex, não os via como o pai, sinceramente não me arrependo.

    Mas admiro as mulheres que são mães, pq se eu so com o trabalho (q é muito) e as vezes...rs.. um companheiro, acabo esquecendo de mim mesma...imagino vcs...sem contar q a sociedade ainda exige q a mulher esteja linda, maravilhosa e sorridente ao final do dia.

    Mas adoro criança, e até 2008, durante 4 anos desenvolvi com emus alunos o Projeto Sorriso pela Vida, atividades lúidicas na Pediatria do Hospital Municipal... acredito q este meu lado "tia" é q permite eu ter sucesso na minhas aulas, pois a minha principal função é ensinar a ensinar crianças.

    Quanto a Sandra, mesmo sem conhecer vcs ainda direito...rs já dei minha sugestão no post anterior e ficou enorme...quase um pergaminho.
    abraços a todos/as

    ps1: LUFE já ia pedir pão de queijo, o papel de parede da sala da Lu é igual ao do teu Buteco...rs

    ps2: Milton, fui espiar seu blog...rs.. adoro fotos também, so não posso abrir vídeos com a conexão supersônica de 49 Kbps, mas as fotos q vi gostei
    ps3: esta semana sem tempo p escrever, vou apenas ler vcs,então escrevam...rs
    ps2:

    ResponderExcluir
  11. aff, escrevi um comentário enorme e não foi????...rs ou se foi não vi com a conexão velocidade supersônica de 49 Kbps..volto outro dia, pq no blog de uma amiga lotei os coments pensando q não tinha ido...rs

    abraços a todos/as essa semana não vou ter empo p escrever, mas estarei lendo vcs.

    ResponderExcluir
  12. Oi meus amigos todos!!!!!
    Sandrinha, Re, Lufe, Milton, Born....

    Eu não respondi e não posso me demorar aqui agora porque meu filhote está em semana de provas e estou estudando com ele... Além de levar na natação, no pilates, no futebol e no inglês....

    hahahahahha....
    mas to amando todos estes comentários!!!!
    um beijo em todos...
    PS.: aqui não é necessário pedir desculpas pelos comentários...
    Nem pelo conteúdo, nem pelas palavras, nem pela frequência e nem pelo tamanho....
    A casa é de vocês!!!!

    E eu to sentindo falta de tomar uma no buteco do lufe e de passear à beira mar do Milton e de falar alguma coisa que alguém tem que falaaaaarrrr!!!!!!


    Beijos nos corações de todos!!!!!

    ResponderExcluir
  13. E de passear no seu blog também viu, born??!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Adorei seu texto... concordo com tudo que está escrito nele... e o mais interessante é que temos o mesmo nome!!!!
    Um prazer conhecer seu blog...

    ResponderExcluir
  15. LuMenezes...
    Bem vinda ao blog!!!!
    Fique à vontade...
    A casa também é sua!!!!
    Coincidência termos o mesmo nome, e somos do mesmo estado!!!!!
    Volte sempre...
    Será um prazer recebê-la aqui...
    Um abraço!!!!!

    ResponderExcluir
  16. Maga Patalógica2 de maio de 2010 22:29

    Esta sem dúvida a maior herança que se pode deixar para um filho: ser uma pessoa inteira, ser de fato quem se é
    O testemunho vivo permanece o resto se esvai, não é mesmo?

    ResponderExcluir